quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Menstruação - A história.

Eu não gosto disso. Nunca gostei.

Eu tinha 14 anos. Era dia 06 de abril de 1996. Eu saía da escola por volta de 11:30. No ponto de ônibus senti uma dor nas costas, no coccix sabe? Reclamei para minhas colegas, e elas me disseram que era o "chico" vindo. Eu, toda moleca, batia no peito de não ter "essa coisa" não. Era toda orgulhosa de ser a última da turma a virar mocinha. Não queria aquilo para mim de jeito nenhum. Mas... tem coisa que a gente não escapa, né? Eu tinha que crescer. Era a hora. Cheguei em casa, fui ao banheiro e ao me limpar, lá estava ela.

Eu deixava de ser menina e passava a ser mulher...


Contei para a minha mãe à noite. Ela contou para minha irmã, que contou para a escola inteira. As meninas da escola, no dia sequinte, só falavam sobre isso. Queriam até fazer festinha, no banheiro, queriam cantar parabéns com a velinha em cima de um absorvente!! (olha a criatividade...) eu era só o que elas comentavam... só que eu não estava feliz. Não!! Eu queria me esconder num buraco, eu não queria aquilo para mim. Lembro de chegar em casa, e ir direto para o banheiro, me sentia nojenta. Quando desci a calcinha, ainda sem habilidade, o sangue escorreu pelas minhas pernas, pingou no chão e eu chorei. Que ÓDIO!! 

Nos meses seguintes vieram as cólicas. Muitas, daquelas da gente se contorcer. Uma vez até desmaiei no terminal de ônibus. Péssimo.

Minha salvação veio aos 18 anos. Chamava-se Adoles. Minha grande amiga,  a pílula anticoncepcional (beijo, saudades suas, colega). Melhorou tudo, e quando me dava na telha juntava uma cartela na outra  e ficava meses sem menstruar. Foi minha grande companheira por 11 anos, quando no ano passado, eu a abandonei. Com bons propósitos, claro. Era hora de mudar de novo, de crescer de novo, de ser mãe.

Hoje, reencontro todos os meses aquela menina chorona e revoltada. Ela ainda se olha no espelho e chora quando vê o sangue escorrrendo. Ela ainda se revolta com as dores (thanks God for the Buscopan Duo), ela ainda detesta ficar menstruada, hoje ainda mais... porque a cada mês que isso acontece, significa que meu bebê ainda não veio.

Quarta-feira, 26 dias depois, foi assim de novo. A Intrometida V deu as caras. Um ciclo se fecha, e outro começa. Mas me reservo o direito de sentir o que eu quiser; dor, pesar, agonia, ódio, os sentimentos são meus, o corpo é meu. No dia seguinte, como sempre,  lavamos o rosto e seguimos em frente.

A vida segue, não é mesmo?

3 comentários:

Mariliz disse...

É, é um luto mensal.
E eu filha, que menstruei a primeira vez com 10 anos!!!
acredita?
Era um bebê ainda!!!
Bjs

Renatita Pereira disse...

Pois é Gaby... Esse ciclo vicioso é uma constante mesmo na vida de tentante... Essa semana mesmo escrevi sobre isso no meu blog: http://guiaparacegonha.blogspot.com/2012/02/ciclo-de-uma-tentante.html

Hoje mais do que nunca a sensação é péssima quando a monstra resolve aparecer!
E olha que quando eu menstruei eu achava o máximo...e ainda por cima eu só tinha 9 anos quando isso aconteceu.
Mas vc sabe o porque eu adorei quando fiquei "mocinha"??
Pq eu sabia que depois daquilo, eu já poderia ser mãe...
Mal sabia eu que hoje quase 21 anos depois ainda não consegui realizar esse garnde sonho!
MAs vamos a luta... Uma hora chega a nossa vez!
Beijinhos, rê

Bruna - .::Nossa História::. disse...

Eu fiquei moça com 11 anos sentia colicas de arrepiar e a pilula me ajuda muito a controlar porque meu fluxo é muito forte.
ODEIO ela!

Beijos